Adoção consciente

ANTES DE ADOTAR UM ANIMAL, TENHA CERTEZA DE QUE:

 

- Sua casa ou apartamento tem espaço suficiente para a espécie escolhida;

- Você está realmente disposto a cuidar dele por toda a vida. Cães e gatos chegam a viver de 10 a 20 anos;

- Nas suas férias e períodos de ausência haverá pessoas para cuidar dele;

- Toda a família está de acordo em receber o novo integrante;

- Você está disposto a arcar com as despesas de um animal. Além de amor, alimentação e abrigo, ele vai precisar eventualmente de cuidados veterinários e remédios;

- Ele é um ser vivo e sensível, não um produto que pode ser trocado ou jogado fora ao apresentar “problemas” ou tornar-se “obsoleto”;

- Se você mora em apartamento ou numa casa com um pátio pequeno, analise se você terá tempo e disponibilidade para passear com ele. Animais necessitam de exercício físico com regularidade;

- Ele não ficará sozinho em casa por longos períodos. Cães deixados presos latem, choram, ficam estressados e, com isso, acabam “aprontando” para se distrair.

- Se o animal ficar em área externa (quintal, garagem), providencie um abrigo coberto para ele (não apenas uma casinha, mas é preciso alguma área coberta para que ele possa proteger-se da chuva, frio e sol, calor!) , e procure deixar os alimentos e água sempre à sombra.

 

CUIDADOS FUNDAMENTAIS PARA A SAÚDE DO SEU ANIMAL

 

1 - Uma única vez: castre o animal. É um ato de compaixão que fará com que ele tenha uma vida mais saudável e fique com você muito mais tempo.

 

2- Diariamente: ração de boa qualidade (na medida indicada na embalagem) e água à vontade.

Muito importante: o seu animal não pode comer qualquer tipo de comida. Não dê: chocolate, açúcar, tomate, feijão, batata. Estes alimentos causam danos sérios aos dentes e à saúde do animal.

Prefira sempre rações com um mínimo de 21% de proteína para adultos e 28% para filhotes.Tente evitar rações muito coloridas, por possuírem mais química (corantes). Observe que para cada idade existe uma ração e uma quantidade apropriadas. Veja indicação na embalagem ou pergunte para um veterinário de sua confiança.

 

3 -Semanalmente: limpeza dos ouvidos e escovação (raças de pêlos longos exigem escovação diária ou a cada dois dias). Peça ao veterinário de sua confiança orientações para manter os ouvidos de seu animal sempre limpos e saudáveis.

 

4- Mensalmente: o ideal seria que o seu animal tomasse banho e fosse tosado mensalmente. Banhos frequentes removem a defesa natural da pele do animal e podem acentuar problemas de ouvido. Se onde você mora existe uma grande infestação de carrapatos, você deve fazer um controle mensal dos mesmos, passando produtos apropriados em seu quintal e em seu cão/gato. O carrapato transmite doenças (também para humanos), que podem inclusive ser fatais ao animal, bastando a picada de um carrapato infectado.

 

5- A cada 3 meses: aplicação de remédios de pulgas. Pulgas transmitem um tipo de verme também para humanos e hoje já existem remédios para serem aplicados na nuca dos animais, que tem ação por 30 dias, em média. Não esqueça: somente 5% das pulgas e carrapatos estão nos animais, os outros 95% estão no ambiente! É muito importante tratar também o ambiente onde estes vivem. A higiene é fundamental para a saúde de seu bichinho e de sua família. ATENÇÃO! PULGAS TRANSMITEM VERMES. POR ISSO, É PRECISO ACABAR COM ELAS ANTES E DAR VERMÍFUGO DEPOIS.

 

6- Anualmente:

Tomar vermífugo a cada 4 ou 6 meses (escolher sempre os vermífugos ‘plus’ e dar a segunda dose 15 dias após a primeira);

Vacinas: POLIVALENTE (combate diversas doenças, inclusive algumas que são transmitidas por via aérea) e ANTI-RÁBICA. Exija sempre que a aplicação seja feita por um veterinário e que o mesmo cole o selo da vacina, carimbe e assine a carteira do animal.

 

7- Esporádico: Leve seu cão/gato ao veterinário sempre que notar:

- apatia;

- perda ou ganho excessivo de peso;

- falta de apetite e de sede;

- coceiras nas orelhas e balançar excessivo das mesmas;

- alterações na pele e no pêlo e caroços;

- vômito;

- diarréia, principalmente com sangue;

- demonstração de dor.

 

IMPORTANTE: A QUALQUER UM DESTES SINTOMAS, NÃO MEDIQUE SEU ANIMAL EM CASA. BUSQUE SEMPRE A ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE UM VETERINÁRIO.